quarta-feira, 25 de março de 2009

Espio

Tenho a poesia
como um olhar
que me espia
- pela fresta da fechadura –
me despindo
todo dia,
todo dia,
todo dia
me despindo
todo dia.

Maria Maria

2 comentários:

José Carlos Brandão disse...

Olá, Maria.
De vez em quando visito o teu jardim. Sempre agradável, acolhedor.

Um beijo.

Guru Martins disse...

...lindo!!!

bj